(ECO) Centeno vê Portugal a chegar a rating de A “num prazo muito curto”

(ECO) O ministro das Finanças acredita que Portugal voltará a subir de rating em breve e vê já o país a chegar à classificação de A “num prazo muito curto”.

Oministro das Finanças considerou, esta sexta-feira, que a trajetória de recuperação e estabilização financeira não será interrompida e que rating de Portugal pode em breve passar para níveis mais elevados. “Se mantivermos a trajetória de avaliações positivas consecutivas nos próximos tempos, diria que num prazo muito curto Portugal poderia atingir, não só nesta, mas em outras agências de ‘rating’, essa classificação A”, uma das classificações mais altas, afirmou Mário Centeno, em declarações à Lusa.DBRS sobe rating de Portugal na véspera das legislativas Ler Mais

A agência de rating DBRS anunciou, esta sexta-feira, a decisão de melhorar a notação financeira de Portugal, de ‘BBB’ para ‘BBB+’ (nível de investimento), o que significa que o país está “a um nível de atingir a classificação A”, disse Centeno.

Para o ministro das Finanças, usando Espanha como referência, é possível “antecipar uma continuação destas melhorias”. Isto porque, acrescentou, apesar de Portugal estar classificado abaixo de Espanha, “tem hoje taxas de juro mais baixas ou muito próximas” das daquele país, “tem a dívida a cair na percentagem do PIB [Produto Interno Bruto], o que Espanha neste momento não tem, saldo orçamental equilibrado e está a crescer mais do que Espanha”.

Segundo Centeno, a trajetória de recuperação e estabilização financeira “não vai ser interrompida”, pelo que “as boas notícias de que Portugal hoje é sujeito muito ativo na Europa vão manter-se”.

Sobre a decisão da DBRS, Centeno considerou que é justificada pela “consolidação das contas públicas, pela redução do endividamento público e privado, pelo crescimento económico robusto e acima da média europeia e uma capacidade de financiamento positiva face ao exterior da economia portuguesa”.

O ministro destacou a evolução da economia, considerando que, “pela primeira vez, Portugal cresce sem pôr em causa o equilíbrio externo” e assim está “melhor preparado para enfrentar riscos externos”, que no passado “tanto prejudicaram a economia portuguesa”.

Nas outras agências de rating principais, Portugal tem notação de ‘BBB’ pela Fitch e Standard & Poor’s (segundo nível da categoria de investimento) e ‘Baa3’ pela Moody’s (primeiro nível na categoria de investimento, um nível acima de ‘lixo’).

A perspetiva está em todas como positiva, o que dá indicação de que o rating poderá melhorar. O rating é uma classificação atribuída pelas agências de notação financeira que avalia o risco de crédito (capacidade de pagar a dívida) de um emissor, que pode ser um país ou uma empresa.

Cada agência de rating tem a sua própria escala de avaliação, mas em todas a melhor classificação é o triplo A (AAA) e as letras C ou D indicam avaliações em que o investimento é considerado de risco ou especulativo (vulgarmente designado ‘lixo’).