(JN) Economistas internacionais vêem Portugal a crescer menos

(JNPIB deve falhar meta de crescimento do Governo tanto este ano, como no próximo. Maior diferença é em 2019, quando a média dos economistas não espera um crescimento além de 1,8%.

A economia portuguesa deverá crescer 2,2% este ano, falhando por uma décima a meta de crescimento do PIB definida pelo Governo. A previsão resulta da média de 20 economistas internacionais compilada pela Bloomberg e inclui uma revisão em ligeira baixa do crescimento no segundo semestre, face ao último inquérito. Os números foram publicados esta segunda-feira, 17 de Setembro.

Os analistas ajustaram em baixa o crescimento esperado para o segundo semestre deste ano: em vez de um ritmo de subida do PIB de 0,6% a cada trimestre, antecipam agora um avanço de 0,5% em cadeia, também nos dois trimestres.

Contudo, a maior discrepância face à meta do Executivo verifica-se em 2019. No Programa de Estabilidade, apresentado em Abril, o Governo comprometeu-se a igualar no próximo ano o ritmo de crescimento que esperava para 2018, ou seja, 2,3%. Já nessa altura esta projecção ficava acima do esperado por várias instituições.

Agora, a Bloomberg antecipa um crescimento de apenas 1,8%, caindo para 1,5% em 2020. No inquérito anterior esperava um crescimento de 1,9% para 2019, mas já anteviam o ritmo de apenas 1,5% para 2020.

As projecções trimestrais permitem verificar que a economia entrará em 2019 com o mesmo ritmo de subida do PIB do final deste ano (0,5% em termos trimestrais), mas no segundo trimestre abrandará para 0,4%. Depois, na segunda metade de 2019 é de esperar uma repetição dos ritmos dos primeiros seis meses do ano.

Preços crescem mais, mas desemprego encolhe mais depressa

A par deste crescimento ligeiramente inferior, a projecção para a inflação foi corrigida em alta, dos anteriores 1,2%, para 1,4%, sinalizando que os preços vão subir um pouco mais depressa, mas continuarão contidos.

No mercado de trabalho as notícias continuam positivas, com os analistas a reverem em baixa a sua projecção para a taxa de desemprego. A média deste ano deverá ficar em 7,1%, reduzindo-se para 6,4% em 2019. Mas os progressos param aqui: no ano seguinte, os economistas contam com uma pequena subida da taxa, para 6,5%.

Seja como for, as previsões são mais positivas do que as expectativas do Governo para todos os anos. Em Abril, o Ministério das Finanças antecipava taxas de desemprego de 7,6% este ano, 7,2% em 2019 e de 6,8% em 2020.