(JN) Moody’s melhora ratings de quatro bancos portugueses

(JN) A agência financeira decidiu subir o ratings da Caixa Geral de Depósitos, BCP, Santander Totta e Novo Banco perante a melhoria do cenário operacional no setor financeiro nacional.

A Moody’s decidiu subir os ratings dos depósitos da Caixa Geral de Depósitos, BCP, Santander Totta e Novo Banco. Isto perante a melhoria do cenário operacional do setor financeiro nacional, conforme justifica a agência de notação financeira numa nota emitida esta quarta-feira, 24 de julho. 

Para o banco liderado por Paulo Macedo, a Moody’s aumentou o rating dos depósitos para Baa3/Prime-3, face aos anteriores Ba1/Not Prime, o que reflete a “melhoria do perfil macro [de Portugal] em conjunto com o progresso significativo do banco na implementação do plano estratégico 2017-2020”. 

A mesma alteração foi feita no caso do BCP, que viu ainda o rating do programa de dívida sermelhorado de Ba1 para Ba2. O banco do Estado e o BCP passam assim a ter uma classificação dos depósitos num nível fora de lixo.


Já o rating do Santander Totta subiu para Baa1, enquanto antes era Baa2. Isto numa altura em que o banco liderado por Pedro Castro e Almeida conseguiu “fortalecer o perfil de crédito após ter concluído com sucesso a integração do Popular”. 

Também o Novo Banco assistiu a uma melhoria do rating para B2 face a Caa1, com a agência de notação a destacar o progresso que o banco tem feito na redução do risco no seu balanço. O banco liderado por António Ramalho, que viu o seu “rating” melhorar em dois níveis, tem vindo a apostar na venda de carteiras de crédito malparado e imóveis.

Quanto ao BPI, a Moody’s aproveitou para reafirmar o rating dos depósitos no BPI, em Baa1/Prime-2. Mas também para colocar o rating do Montepio em análise para eventual subida.
“O principal catalisador desta alteração do rating é a melhoria do cenário operacional do sistema bancário, em particular a desalavancagem significativa do setor privado”, afirma a Moody’s no comunicado. 

A Moody’s melhorou o perfil macro de Portugal de Moderado para Moderado+. O rating está em estávem em Baa3.

Além disso, continua a agência, a alteração dos ratings dos bancos nacionais também reflete “o novo quadro legal que foi implementado em março de 2019” e que determina que os grandes depósitos em Portugal estão mais protegidos do que a dívida sénior no caso da resolução de um banco.