+++ O.P. (JN) Acções do Deutsche Bank descem após ameaça de corte de “rating”

O.P. 

…Olhem que novidade…

É só ver as inúmeras O.P. neste site sobre o Deutsche Bank.

E mais deve por aí vir…

+++ P.O. (BBG) Deutsche Bank, UBS Must Pay for Avoiding Bonus Taxes, Judges Say

+++ P.O./V.I. (BBG) Deutsche Bank Says It Can Pay Debts in Sign Jitters Mounting

+++P.O./V.I. (FT) Charges to drive Deutsche Bank to €6.7bn loss

+++ P.O. (BBG) Deutsche Bank Tally of Suspect Russia Trades Said at $10 Billion

+++ P.O. V.I. (BBG) Germany Opposes Shared Risk in Deposit Insurance, Ministry Says

+++ P.O./V.I. (FT) Deutsche Bank created complex tax avoidance strategies

P.O. (FT) Deutsche Bank is still stuck in the middle of global finance 

++++ M.P.O. (BBG) UniCredit Plans to Shrink Workforce by About 18, 200 by 2018

P.O. (BBG) Deutsche Bank Said Planning 1,000 London Job Cuts: Sunday Times

+++ P.O./V.I. (BBG) Deutsche Bank Says It Can Pay Debts in Sign Jitters Mounting

Francisco (Abouaf) de Curiel Marques Pereira

(NegóciosA Moody’s identifica maiores riscos de execução no programa de reestruturação do Deutsche Bank e admite baixar a classificação para a dívida do banco alemão.

As acções do Deutsche Bank seguem a descer mais de 1,5%, a reagirem à ameaça de corte de “rating” por parte da Moody’s. A agência de notação financeira argumenta que o banco alemão poderá ter dificuldades em prosseguir com o seu programa de reestruturação e aumentar a sua rentabilidade.
“Desde a mudança de liderança no passado mês de Junho e a reorganização do seu plano estratégico no passado mês de Novembro, o ambiente operacional piorou para o Deutsche Bank”, disse a Moody’s numa nota para o banco alemão, divulgada na segunda-feira, 21 de Março, ao final do dia.
Para a agência de notação financeira, este ambiente “está a aumentar o já elevado nível de desafios de execução que o grupo enfrenta para resolver os seus problemas de custos estruturais e alcançar o seu novo plano estratégico”.
O Deutsche Bank tem estado sob forte pressão. Os receios em relação à capacidade de o banco reembolsar a sua dívida levaram mesmo a instituição a anunciar um programa de recompra de 4,8 mil milhões de euros de dívida este ano, numa tentativa de dar um sinal de tranquilidade aos investidores.
Ainda assim, a instituição adiantou na semana passada que não espera lucros este ano, prosseguindo com o plano de redução de custos, através do corte de postos de trabalho e da venda de activos. As taxas de juro baixas, o abrandamento dos mercados emergentes e os encargos com vários processos legais têm estado a penalizar a rendibilidade do banco alemão.
A Moody’s avalia actualmente a dívida sénior do banco com um “rating” de “Baa1”, três níveis acima do nível especulativo, enquanto os depósitos de longo prazo da instituição têm uma avaliação de “A2”. Segundo o comunicado da agência, a avaliação pode baixar em um nível.
As acções descem 1,7% para 16,64 euros esta terça-feira, 22 de Março, elevando para cerca de 26% a desvalorização acumulada este ano, perante os receios de uma descida de “rating”.