(JE) Santander em negociações exclusivas para comprar ativos do Deutsche Bank na Polónia

(JE) Em Portugal, tal como em Espanha, o Deutsche Bank tem sobretudo atividade de private banking e estão ambos na lista de ativos para vender, soube o Jornal Económico. O Santander é visto como o natural potencial comprador, se fechar a compra dos ativos do Deutsche na Polónia, revelam fontes.

A notícia está a ser avançada pela Reuters, que cita fontes. O banco espanhol Santander entrou em negociações exclusivas para comprar a maior parte do negócio do Deutsche Bank na Polónia, com o objetivo de fortalecer a sua posição no mercado polaco onde o Santander, tal como o BCP estão presentes, disseram duas fontes familiares com o assunto à Reuters.

Os dois bancos prevêem assinar um acordo antes do final do ano, idealmente antes do Natal, diz a notícia da Reuters.

Ainda segundo a Reuters, as discussões finais entre o Santander e seu advisor, JP Morgan, com o Deutsche Bank estão agora focadas no preço.

O Deutsche Bank e o Santander recusaram-se a comentar à agência noticiosa.

Para trás ficou o BCP, maior acionista do Millennium Bank na Polónia, que também estudou o dossier.

O movimento segue uma série de acordos de fusão e aquisição de bancos na Polónia, impulsionados pela forte concorrência, pela baixas taxas de juros e num contexto em que o Partido eurocéptico Lei e Justiça (PiS) se esforça para conter o que vê como excessiva propriedade estrangeira das empresas polacas, escreve a Reuters.

Em junho, a seguradora estatal polonesa PZU e o fundo de investimento PFR compraram uma participação de 33% no banco Pekao da UniCredit, o segundo maior banco da Polónia.

Essa operação deixou o Santander BZ WBK, o terceiro maior banco do país, como o maior banco polaco não controlado pelo Estado. A Polónia representou 3% do lucro subjacente do Santander no terceiro trimestre.

A Deutsche Bank está a vender parte das suas operações polacas para libertar capital, no âmbito de profunda reestruturação das suas operações. O banco já fechou ou vendeu negócios em muitas partes do mundo, pois tem de se concentrar na banca de investimento e banca de retalho, bem como na atividade de gestão de ativos, diz ainda agência noticiosa.

As áreas em que está a desinvestir incluem atividades de private banking, banca para pequenas e médias empresas e está também a vender carteiras de crédito em moeda local. A carteira de crédito a empresas e os créditos em moeda estrangeira não estão à venda, lê-se na notícia.

Em Portugal, tal como em Espanha, o Deutsche Bank tem sobretudo atividade de private banking e estão ambos na lista de ativos para vender, soube o Jornal Económico. O Santander é visto como o natural potencial comprador, se fechar a compra dos ativos do Deutsche na Polónia, revelam fontes.