+++ O.P. (EXP) Parlamento defende necessidade do Governo pressionar Espanha para fechar Almaraz

O.P.

Estou inteiramente de acordo que haja uma fiscalização a sério (a sério nunca houve) sobre as águas do Tejo, e subscrevo integralmente todos os esforços para que a Central Nuclear de Almaraz seja encerrada, e por completo.

Portugal não tem energia nuclear por opção.

Mas é como se tivesse…

Ou pior…

A Central de Almaraz tem problemas constantes e recorrentes por ter uma tecnologia muito antiga.

Já há muito que foram ultrapassados todos os prazos de vida da central definidos aquando da sua construção.

Uma central nuclear a 100 kms de Portugal e a 300 kms de Lisboa e no maior rio da Península Ibérica que justamente desagua em Lisboa…

Nunca devia ter sido construída!

As Autoridades do País vizinho afirmam que não existe qualquer problema de contaminação radioactiva.

Mas o que é facto é que existem dezenas de reportagens sobre a população da zona.

Que descrevem uma situação totalmente diferente…

Um elevadíssimo numero de doenças , algumas delas raras, gado que não come e morre, pequenos animais que morrem precocemente, terrenos que se não podem utilizar etc.

E agora há a decisão de lá construir um cemitério nuclear…

O problema é de ambos os Países.

Urge é ser resolvido.

A bem de todos.

Francisco (Abouaf) de Curiel Marques Pereira

(EXPParlamento defende necessidade do Governo pressionar Espanha para fechar Almaraz.

A Assembleia da República defendeu esta quinta-feira a necessidade de o Governo adotar, em parceria com o congénere espanhol, medidas de combate à poluição do rio Tejo e de insistir no encerramento da central nuclear espanhola de Almaraz

O tema de Almaraz foi abordado esta tarde no Parlamento na sequência da discussão de uma petição, da autoria do movimento ambientalista ProTejo, e de seis projetos de resolução.

O texto da petição exorta o Governo português a insistir junto do Governo espanhol na necessidade de proceder ao fecho da central nuclear de Almaraz e a atuar junto das instâncias europeias para que seja cumprida a Diretiva Quadro da Água e feita “uma fiscalização ambiental mais rigorosa à poluição do rio Tejo.

Os projetos de resolução apresentados pelos grupos parlamentares, que serão votados na sexta-feira, foram igualmente no sentido de a tutela tomar uma posição mais forte junto de Espanha para que seja encerrada a central nuclear e pelo aumento das medidas de vigilância e de ação ambiental.

Nesse sentido, durante a discussão, houve um consenso alargado de todas as bancadas para a necessidade de o Governo atuar “com mais firmeza” na defesa do Tejo.

Portugal chegou a apresentar à Comissão Europeia uma queixa contra Espanha, mas acabou por retirá-la depois de um acordo patrocinado pelo executivo comunitário que previa a realização de um estudo de impacto ambiental transfronteiriço, em que o grupo de trabalho criado pelo Governo português considerou o projeto “seguro e adequado”.

A central nuclear de Almaraz localiza-se em Espanha, a 100 quilómetros da fronteira com Portugal.