(OBS) Sá Pessoa ganha segunda estrela e Guia Michelin já inclui Bragança e Guimarães

(OBS) O Guia foi mais longe e fugiu à capital: os restaurantes G Pousada, em Bragança, e A Cozinha, em Guimarães, ascenderam à constelação Michelin. Segunda estrela para Sá Pessoa

O Alma, de Henrique Sá Pessoa, é o novo restaurante português a ser distinguido pela “cozinha excecional” e a “merecer o desvio”. O projeto que abriu em soft opening em setembro de 2015 acaba de arrecadar a segunda estrela Michelin, igualando-se ao Belcanto de José Avillez, até agora o único estabelecimento na capital a ser consagrado com dois “macarons”.

A gala desta quarta-feira, que apresentou a edição de 2019 do reputado — mas também polémico — Guia Michelin, realizou-se pela primeira vez em Portugal e ocupou o Pavilhão Carlos Lopes, no centro da capital. O evento ficou marcado por três novos restaurantes com uma estrela: um deles é o Midori, em Sintra, que passa, assim, a ser o primeiro espaço de cozinha luso-nipónica no país a entrar para o universo das constelações.

Em 2019, a vitória é sobretudo da descentralização. Fora de centros mais urbanos, o guia optou por estrelar o G Pousada, em Bragança, que está sob a direção dos irmãos Gonçalves e aposta na “valorização da cozinha moderna da região de Trás-os-Montes”, tal como se lê em comunicado, e o restaurante A Cozinha, em Guimarães, aos comandos do chef António Loureiro.

Dois novos restaurantes portugueses entraram ainda na categoria Bib Gourmand, que destaca a “melhor relação qualidade-preço”, e outros sete figuram como Prato Michelin, atribuição que significa “cozinha de qualidade”. São eles a Tasca do Zé Tuga, em Bragança, e o Avenida, em Lagos.

Ao contrário do que aconteceu em novembro de 2016, considerando o Guia para 2017 que viu 9 estrelas serem atribuídas a Portugal, na mais recente edição não houve qualquer “chuva de estrelas”. Ainda assim, os resultados mostram-se mais favoráveis em relação ao ano passado, quando apenas dois restaurantes receberam estrelas.

De Espanha, bons ventos e três estrelas

O Dani García, em Marbella, foi o único restaurante em Espanha a receber três estrelas Michelin. E apesar das novidades ao nível das duas estrelas (mais três restaurantes do que na edição anterior) e de uma estrela (mais 22 estabelecimentos), o grande destaque vai para o emblemático chef Martín Berasategui, que conseguiu incorporar mais dois restaurantes na lista de estabelecimentos com estrelas — chegou, assim, às 10 estrelas Michelin e consolida ainda mais o estatuto de chef espanhol com mais galardoado pelo guia.

De referir que 1.447 restaurantes espanhóis integram o Guia Michelin nas suas diferentes categorias, contra apenas 167 estabelecimentos em Portugal. Por outro lado, se em terras lusas não há qualquer estrela suprimida, o mesmo não se pode dizer em Espanha, país onde 13 restaurantes perderam os seus “macarons” por completo (à exceção de El Club Allard, que baixou de duas para uma estrela).

Lista dos restaurantes premiados (* indica novidade em relação ao ano passado):

1 estrela

  • Midori (Sintra, chef Pedro Almeida)*
  • G Pousada (Bragança, chef Óscar Gonçalves)*
  • A Cozinha (Guimarães, chef António Loureiro)*
  • Antiqvvm (Porto, chef Vítor Matos)
  • Bon Bon (Carvoeiro, chef Louis Anjos)
  • Casa de Chá da Boa Nova (Leça da Palmeira, chef Rui Paula)
  • Eleven (Lisboa, chef Joachim Koerper)
  • Feitoria (Lisboa, chef João Rodrigues)
  • Fortaleza do Guincho (Cascais)
  • Henrique Leis (Almancil, chef Henrique Leis)
  • LAB by Sergi Arola (Sintra, chefs Sergi Arola)
  • L’AND (Montemor-o-Novo, chef Miguel Laffan)
  • Largo do Paço (Amarante, chef Tiago Bonito)
  • Loco (Lisboa, chef Alexandre Silva)
  • Pedro Lemos (Porto, chef Pedro Lemos)
  • São Gabriel (Almancil, chef Leonel Pereira)
  • William (Funchal, chefs Luís Pestana e Joachim Koerper)
  • Willie’s (Vilamoura, chef Willie Wurger)
  • Vista (Portimão, chef João Oliveira)
  • Gusto (Almancil, chef Heinz Beck)

2 estrelas

  • Alma (Lisboa, chef Henrique Sá Pessoa)*
  • Belcanto (Lisboa, chef José Avillez)
  • Il Gallo d’Oro (Funchal, chef Benoît Sinthon)
  • Ocean (Alporchinhos, chef Hans Neuner)
  • The Yeatman (Vila Nova de Gaia, chef Ricardo Costa)
  • Vila Joya (Albufeira, chef Dieter Koschina)